domingo, 2 de novembro de 2008

Algumas coisas não têm histórias felizes...

A camisola que eu estou vestindo hoje, por exemplo. Minha mãe me deu quando eu fui parir o Matias. Era pra ser uma história feliz dessa minha camisola. Mas não é. Minha mãe comprou pra minha vó na ocasião que ela foi desentubada e todo mundo achou que ela fosse para o quarto. Ela não foi. Essa história da morte da minha vó ainda é muito difícil de engolir. Primeiro porque eu não estava lá. Segundo porque eu acho injusto. Em poucas coisas que eu enxergo injustiça. Minha profissão é muito mau remunerada e não acho injusto, uma vez que ela é praticamente inútil - meu próximo post será sobre isso! -. Eu moro em um lugar péssimo e não me descabelo por isso. Mas minha vó ter morrido...Ela gostava demais da vida. Não era exatamente uma pessoa 100% agradável. Na verdade, era 8 ou 80. A gente já brigou muito, de tapa até. Mas ela era a matriarca da família. Quem mandava era ela e ponto final. E ela amava a gente demais. E nunca desejou a morte. Nem como a minha mãe faz, de falar 'um dia eu vou ter um cancer de tanto nervoso...', essas coisas da família Salles. Minha vó só dizia 'eu não sou eterna'. E em uma de nossas últimas conversas, eu disse 'para mim, você é eterna'. Ela gostava de balada, só tinha amigos jovens, assuntos contemporaneos e adorava fazer comentários engraçados. Aquele dia que eu a levei para o hospital, ela tinha medo nos olhos. E tanta gente querendo morrer. E ela não! A última coisa que eu disse para ela foi 'olha lá o que você vai me aprontar. Você vai ser madrinha do Tomaz (na época, Matias ainda era Tomaz)'. E ela respondeu 'é. Eu sou madrinha do Tomaz'. E eu saí da sala.
Injusto!
Agora eu tenho medo de ir pra São Pedro. E minha camisola me deixa triste.

3 comentários:

=] disse...

eu achei injusto tbm..
porq eu tbm nao estava aq.. e a vó irene nao era minha vó de sangue mas sim de coraçao.. sempre me deu força pros meus sonhos.. e adorva as conversas...
senti falta qdo voltei.. por certeza q ia conversar horrores com ela sobre minha viagem..

Michelle Dangeli disse...

Minha vó paterna também era muito especial pra mim. Desde que ela se foi, não voltamos mais ao Goiás, terra natal do meu pai...

Hirche disse...

No words