quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

2 posts no mesmo dia: raridade.
Trocando tuits com a @ALakoke, tive a idéia de colocar por aqui os meus devaneios amorosos. Monstros que eu crio na minha cabeça e alimento todos os dias com caviar, trufas e carinho. Chega a ser uma coisa meio eufórica, que faz eu passar horas pensando e pensando e pensando. Faz tempo que não acontece, mas vou-lhes apresentar meus

AMORES IMPOSSÍVEIS - em ordem cronológica.

O primeiro deles, eu era bem pequenininha. Mas como eu amei esta pessoa:


Henry Thomas é o pequeno Elliot, o menino-dono do ET.

Depois eu passei a odiar meninos, como toda pessoa comum. Aliás, mentira. Meus melhores amigos eram homens (Cesinha, Waltinho...). Com uns 10, 11 anos, tive outro amor arrebatador:


Eu assistia esse filme 300 vezes por dia para sonhar acordada com o Ethan Embry, que ficou assim:


Logo depois, veio o Di Caprio, mostrando a minha inclinação por loiros...


E depois de ser rebelde, ele foi Romeu num dos filmes que eu mais gosto até hoje. Como eu sonhei em estar no lugar da Claire Danes...



Hoje já não o acho tão legal, nem tão bonito e essas coisas do amor.
E então, eis que eu (re)conheço o homem da minha vida, o pai perfeito dos meus filhos, o cara que eu passaria o resto da vida junto sem nunca reclamar de nada...



Fiquei viúva antes da hora, mas até hoje sinto falta do meu amor verdadeiro!
Substitui-lo é uma tarefa difícil, tarefa essa que coube ao homem que eu acho mais lindo no mundo inteiro:



Na verdade, Keanu sempre esteve na minha vida. As vezes mais presente, as vezes menos presente, mas está até hoje. Até hoje eu suspiro com seus cabelos ao vento, seus olhinhos apertados e todo o resto!

Num momento de surto, eu amei...



Sim! O cãozinho dos teclados! Alguém se lembra disso? Eu nunca ouvi nenhuma música do cara, mas fiquei obcecada a ponto de fazer amizade com um amigo dele! Pois é...mas logo recuperei a consciência e me apaixonei por um personagem:

Vejam bem, me apaixonei por Seth Cohen, nunca por Adam Brody, ok?! Seth Coen é bacana, tranquilo, azarado, docemente engraçado...Ai, ai! Relembrando até sinto uma queda!

No meio do caminho, esbarrei no carnal...porque eu não sou de ferro. Só a beleza me encanta:


Gracinha, né? Esteve durante algum tempo fixamente em meus pensamentos.
Porém, o bom humor sempre prevalece...


E o esteriótipo do homem ideal formou-se na minha cabeça: gordo, meio loiro, meio cabeludo e super bem humorado.
Ou ruivo, como este aqui:


Nos últimos tempos, eu resolvi nacionalizar: passei a achar essa pessoa uma graça!

Fofura geral, sempre soube que ele não é pro meu bico. Então nunca sonhei demais com ele, só simpatizei. Mas meu último amor platônico foi há bem pouco tempo (1 ano, mais ou menos) e me deixou bem obcecada:


Respirava PC, só queria PC. E descobri um amigo em comum com PC. Quando passei a segui-lo no twitter, vi que ele era bem chato e estrelinha. Dei unfollow e segui minha vida.

De todos esses, hoje em dia, me relacionaria apenas com o JOEY (AMOR ETERNO), que se foi, e com o Jack, que é bem bacana, não é?

4 comentários:

Emiliano e Clara disse...

Vi CAÇADORES DE EMOÇÃO na Band semana passada.
Meus amores platônicos foram: Luciano do Trem, Dinho dos Mamonas, Júnior Lima, Tomati guitarrista do Jô, Sean Willian Scott, Fábio Rabin.

BelezaSanta! disse...

Amiga, seus amores platonico...juvenis ou infantis e ate adultos são todos a sua cara!!!!

Mas amor de verdade, e o de que aguenta a gente todo dia...isso é uma bela prova de amor. Falo pelo meu, pq se tem uma coisa que sei que sou é chata!!! rsrsr

saudades suas!!
beijos

Paulo disse...

Sabe qual seria a vantagem de tu ter um relacionamento com o Keanu Reeves? É que se ele te traísse, não conseguiria mentir e esconder isso de você de tão péssimo ator que ele é...

Mariana Machado Hirche disse...

Realmente Fernanda, a maior prova de amor é o cotidiano. Porque somos chatas, amiga!
E, Paulo, nem se o Keanu Reeves me traísse e não conseguisse esconder, viu? Eu tatuaria um coração com uma faixa escrito: eu fui traída pelo Keanu Reeves!